Pedido de nova ligação

Será um prazer tê-lo (a) como nosso cliente.

Confira algumas informações úteis e saiba como solicitar a ligação de sua Unidade Consumidora (baixa tensão).

Antes de gerar a sua solicitação de serviço é necessário estar com as instalações elétricas do padrão de entrada devidamente instalado e pronto para receber o medidor de energia elétrica.

Para conhecer mais sobre a Norma de Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária de Distribuição a Edificações Individuais, clique no botão abaixo:

Confira a Tabela de Dimensionamento Técnico. Acesse clicando no botão abaixo:

Clique abaixo e solicite seu serviço.


1.    Entre em contato com um eletricista para construir o padrão de energia da sua residência. Ele precisa estar pronto quando a Elektro for no seu imóvel instalar o medidor;

2.    Identifique junto com o eletricista o tipo de ligação que você deve ter no seu imóvel. Pra isso, observe os equipamentos que utilizam energia disponíveis na sua residência. Então, somando a carga desses equipamentos você saberá qual padrão de energia deve ser construído. A ligação poderá ser monofásica, bifásica ou trifásica. Leve em consideração os critérios da norma acima.  

Ah! Importante saber que o padrão de entrada deve estar voltado para a rua e com livre acesso.


As solicitações de ligação nova podem ser feitas por aqui! E não se preocupe que é super rápido e fácil! 


Após registrada a solicitação, acompanhe seu pedido nos nossos canais digitais. Nossos técnicos comparecerão para realizar a vistoria do padrão de energia. Se estiver tudo conforme as regras, uma nova equipe irá até o seu imóvel para realizar a ligação.

Caso durante a vistoria o seu padrão de energia não esteja de acordo com as normas, você receberá e-mail com as descrições do motivo da reprova. Após realizar essas correções entre em contato com a gente através do Teleatendimento ou lojas presenciais para solicitação da nova visita. Fique atento! Uma nova vistoria poderá acarretar em uma taxa de visita.


VISTORIA
•             O prazo máximo para vistoria da unidade consumidora localizada em área urbana, segundo o art. 30, é de 3 dias úteis após a realização do pedido.  
•             O prazo máximo para vistoria da unidade consumidora localizada em área rural, segundo o art. 30, é de 5 dias úteis após a realização do pedido.  

LIGAÇÃO
•             Prazo máximo para ligação da unidade consumidora localizada em área urbana, é de 2 dias úteis após a aprovação das instalações na vistoria.  
•             Prazo máximo para ligação da unidade consumidora localizada em área rural, é de 5 dias úteis após a aprovação das instalações na vistoria.  

Importante! Para as localidades onde o poste de energia está a mais de 30 metros da unidade consumidora a ser ligada ou caso a rede necessite de alguma reforma, a distribuidora tem 30 dias após o pedido para elaborar as análises, orçamentos e projetos e, informar ao interessado. Caso necessite de manutenção ou ampliação; o prazo considerado poderá ser diferente.


PESSOA FÍSICA

• Nome completo;
• Cadastro de Pessoa Física - CPF;
• Documento oficial com foto (Carteira de identidade, Carteira de Identidade Profissional, Carteira de Trabalho, Carteira Nacional de Habilitação de Trânsito, etc);
• Endereço e pontos de referência da Unidade Consumidora;
• Previsão de equipamentos elétricos que existirão na Unidade Consumidora;
• Caso o imóvel esteja localizado em área de preservação ambiental, apresentar licença emitida por órgão responsável;
• Caso o imóvel esteja localizado em área rural, será necessário apresentar o documento de comprovação de posse do imóvel;
*Caso o CEP não seja identificado, será necessária a apresentação de um comprovante de residência.

PESSOA JURÍDICA

• Cópia do estatuto ou contrato social da empresa;
• Cópia do Contrato de Sucessão Comercial;
• Cópia do CNPJ da empresa;
• Cópia da Inscrição Municipal/Estadual (se houver);
• Cópia da ata ou outro documento de designação do representante legal;
• Cópia do CPF do representante legal;
• Cópia do documento oficial de identificação do representante legal;
• Endereço e pontos de referência da Unidade Consumidora;
• Atividade principal de consumo (residencial, comercial, etc);
• Previsão de carga instalada - eletrodomésticos e/ou máquinas que existirão na Unidade Consumidora.


Um padrão de entrada é o conjunto de condutores, equipamentos de medição e proteção, sistema de aterramento, poste e acessórios instalados entre a conexão com a rede elétrica da Distribuidora e as instalações elétricas internas do consumidor.

Para que você tenha energia de qualidade, na hora da instalação, são necessárias algumas orientações. Todo consumidor deve manter os componentes do padrão de entrada em bom estado de conservação, pois, caso seja constatada qualquer deficiência técnica ou de segurança, você será notificado sobre a irregularidade.

•    PADRÃO DE ENTRADA EM POSTE COM CAIXA DE MEDIÇÃO E PROTEÇÃO INCORPORADA;
Para saber mais, consulte o anexo II da norma DIS-NOR-030.
Observações específicas: é possível também utilizar o padrão com caixa incorporada para dois consumidores no mesmo poste.

•    PADRÃO DE ENTRADA EM POSTE COM CAIXA DE MEDIÇÃO E PROTEÇÃO SOBREPOSTA;
Para saber mais, consulte o anexo II da norma DIS-NOR-030.

Observações específicas: a caixa de medição não é embutida no poste, é apenas fixada sobre ele.

•    PADRÃO DE ENTRADA EM MURO OU MURETA;
Para saber mais, consulte o anexo II da norma DIS-NOR-030.

Observações específicas: o padrão de entrada em muro ou mureta ainda necessita do poste com eletroduto para entrada dos cabos, pode ser utilizado um poste ou coluna de concreto armado incorporado ao muro.

•    PADRÃO DE ENTRADA EM FACHADA;
Para saber mais, consulte o anexo II da norma DIS-NOR-030.
Observações específicas: só poderá ser instalado o padrão de entrada em fachada caso esteja a uma distância de 1,2 m da parte inferior e das laterais das janelas, bem como a 0,50 m da parte superior.

•    PADRÃO DE ENTRADA EM PONTALETE.
Para saber mais, consulte o anexo II da norma DIS-NOR-030.

Observações específicas: o padrão de entrada em pontalete é utilizado quando a edificação a ser ligada não possui altura suficiente para fixação do ramal de ligação diretamente na parede, ou quando existe recuo com relação ao alinhamento com a via pública.

 


Aterramento

O aterramento deve ser instalado próximo da caixa de medição e proteção, a uma distância de no máximo 0,50 m;

O condutor de aterramento deve ser em cobre nu ou isolado e sem emendas;

Tipo de haste de aterramento:

O aterramento do padrão de entrada deve ser feito com uma das hastes dos seguintes tipos:

•    cantoneira de aço carbono com revestimento de zinco por imersão a quente, de 25 x 25 x 5 mm, com 2.400 mm de comprimento;
•    haste de aço revestido de cobre 12 mm de diâmetro (mínimo), 2.400 mm de comprimento e demais características conforme ABNT NBR 13.571.

Eletroduto


Os eletrodutos devem ser de aço carbono galvanizado ou PVC rígido.

As opções de fixação do eletroduto no poste são:

•    Braçadeiras ou cintas de aço-carbono com revestimento de zinco por imersão a quente ou liga de alumínio;
•    Fita de aço inoxidável;
•    Arame de aço galvanizado de 12 BWG.


Documento devidamente assinado por profissional habilitado em seu conselho, emitido por um responsável técnico que tem atribuições para realizar a atividade. Este documento é exigido em situações que devido à complexidade do serviço é necessário um responsável técnico habilitado. Entende-se como Documento de Responsabilidade Técnica os seguintes documentos:

•    ART: Anotação de Responsabilidade Técnica, a qual é emitida pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA);
•    RRT: Registro de Responsabilidade Técnica, o qual é emitido pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU);
•    TRT: Termo de Responsabilidade Técnica, o qual é emitido pelo Conselho Nacional de Técnico Industrial (CFT).

Também é necessário emissão de documento de responsabilidade técnica, nesses casos, civil, quando há:

•    Poste de concreto armado construído no local, exceto para as unidades monofásicas, bifásicas residenciais e trifásicas das categorias T0, T1, T5 e T6;
•    Pontaletes que divergem do especificado no normativo;
•    Instalação do ponto de ancoragem do ramal de ligação diretamente em alvenaria das edificações (Documento de Responsabilidade Técnica do dimensionamento e execução da ancoragem);
•    A utilização de acessório ou ferragem não padronizada que alterem as condições normais do poste (Documento de Responsabilidade Técnica civil de dimensionamento das ferragens e poste).

Consulte mais detalhes na norma DIS-NOR-030